Em entrevista ao SINPOSPETRO Niterói e Região, o Procurador Dr. Jefferson Luiz Maciel Rodrigues reafirmou os direitos e cuidados com o trabalhador nesse momento de pandemia, destacando também a importância do diálogo entre sindicatos e empresários para fechar os acordos nas Convenções Coletivas de Trabalho.
Dr. Jefferson, além de atuar no MPT em Nova Friburgo, Região Serrana do Estado, é procurador há quase 10 anos, especialista em Direito e em Processo do Trabalho. Já exerceu a coordenação da Conalis no Rio de Janeiro e atualmente é vice-coordenador nacional da Conalis. A Conalis é um órgão técnico, administrativo do MPT e que trata da promoção da liberdade sindical e do diálogo social.

Veja a entrevista com o Procurador do MPT:

SINPOSPETRO Niterói e Região: Como proteger os direitos e a saúde do trabalhador diante da pandemia do coronavírus, com as novas legislações de redução de salários e jornadas?

Dr. Jefferson – MPT N .Friburgo: A pandemia decorrente do risco biológico representado pelo Covid-19 trouxe, em uma análise sintética, dois grandes impactos ao mundo do trabalho e que demandam desafios. O primeiro é a necessidade de proteger e a vida e a saúde dos trabalhadores e a segunda, não menos importante, é reforçar a proteção social ao trabalhador que é a parte mais frágil da relação laboral e, portanto, aquele que mais sofre com o impacto do isolamento e da retração econômica.

SINPOSPETRO Niterói e Região: O STF reconheceu a Covid-19 como doença ocupacional, o que se equipara a acidente de trabalho. Como o trabalhador deve proceder? Qual a responsabilidade do empresário em relação a saúde do trabalhador em tempos de pandemia?

Dr. Jefferson – MPT N .Friburgo: Na realidade o STF julgou inconstitucional o dispositivo da MP que colocava sob o ônus do empregado a prova do nexo entre a doença e o trabalho, subvertendo a lógica da razoabilidade, da teoria do risco e da proteção.

A empresa tem responsabilidade com a proteção da saúde do trabalhador desde sempre. Cabe, portanto, ao empresário avaliar o seu meio ambiente do trabalho frente ao novo cenário, ao risco biológico representado pelo coronavírus, e comisso adotar as medidas para a prevenção de seus empregados.

SINPOSPETRO Niterói e Região: Muitas categorias estão em negociação coletiva, incluindo o SINPOSPETRO Niterói e Região. O que fazer quando essas reuniões não chegam a um denominador comum?

Dr. Jefferson – MPT N. Friburgo: O momento é de muito diálogo. A crise de saúde, social e econômica é uma realidade. A melhor solução é a discussão franca dos problemas e desafios em cada setor, com franqueza e transparência. A transparecia é uma necessidade, é um imperativo normativo que se extrai, por exemplo, da Recomendação nº166, da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e dos deveres anexos de conduta e que se extraem da boa-fé objetiva negocial.

O MPT está preparado para mediar a busca de uma solução, com procuradoras e procuradores muito experientes. Importante ressaltar que inclusive houve o fortalecimento de nosso núcleo de mediação de conflitos. A melhor solução é a construída pelas partes. O direito que revela segurança jurídica é aquele se ajusta, com o diálogo, com consenso.

Drº-Jefferson-MPT
Dr° Jefferson Luiz Maciel | Procurador do MPT

SINPOSPETRO Niterói e Região: O Ministério Público tem algum esquema especial de atendimento para esse momento de pandemia?

Dr. Jefferson – MPT N .Friburgo: O MPT jamais parou. Muito pelo contrário, a quantidade de demanda que nos chega é muito mais elevada que anteriormente. Apenas ajustamos a nossa atuação à necessidade de isolamento social, suspendendo os atendimentos presencias. As audiências vêm sendo realizadas por videoconferência, todos nossos procedimentos são eletrônicos, o que importa denunciar fatos e acompanhar os inquéritos sem sair de casa. No caso do Rio de Janeiro, podem ser acessados os nossos canais, 24h por dia, inclusive, o telefone, estando os dados no site http://www.prt1.mpt.mp.br/

SINPOSPETRO Niterói e Região: Como fica o trabalhador o direito de greve nesse momento que passamos?

Dr. Jefferson – MPT N .Friburgo: O direito de greve é um direito fundamental e social e retrata a história do sindicalismo e da luta dos trabalhadores desde sempre. A Conalis emitiu a Nota Técnica nº05 que é um importante documento que reflete a manifestação do Ministério Público do Trabalho neste tema.

NOTA TÉCNICA N. 05 DA CONALIS/MPTSOBRE O DIREITO SOCIAL FUNDAMENTAL DE GREVE

 

Prezadas (os)

O Ministério Público do Trabalho, por intermédio de sua Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical (Conalis), com fundamento na Constituição Federal (art. 127, CF) e na Resolução nº137, do CSMPT, forte em sua  missão de “defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis para a efetivação dos direitos fundamentais do trabalho”, editou a Nota Técnica nº05, de 27 de julho de 2020, e que trata do Direito Social e Fundamental de Greve.

A história do direito de greve, no Brasil e no mundo, confunde-se com as fases do direito à livre sindicalização e, por certo, a extensão conferida à liberdade sindical espelha o grau de evolução democrática de uma nação e de respeito aos direitos fundamentais.

Cuida-se de uma construção dialogada com o experiente colegiado da Conalis e que retrata a expressão da Liberdade Sindical como instrumento de consolidação de um estado substancialmente democrático e que respeita a Constituição Federal e, ainda, se alinha às mais modernas deliberações do Comitê de Liberdade Sindical da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Diversos temas são revisitados, por esse importante documento, a exemplo da greve como direito social e fundamental, as suas motivações, objetos, formas e modos de realização, direito de greve e atos antissindicais, além de análises quanto às formalidades e condições prévias ao exercício do direito de greve.

A Conalis, portanto, convida a toda a sociedade à leitura de sua Nota Técnica nº05 e, mais ainda, deseja que o posicionamento institucional declarado contribua para que o exercício do Direito Social e Fundamental de Greve, no país, mais do que uma norma, seja a expressão viva da realidade.

Ronaldo Lima dos Santos – Coordenador Nacional da Conalis

Jefferson Luiz Maciel Rodrigues – Vice-Coordenador Nacional da Conalis Carolina Pereira Mercante – Vice-Coordenadora Eventual da Conalis

 

NOTA TÉCNICA CONALIS/MPT, Nº5/SOBRE O DIREITO SOCIAL FUNDAMENTAL DE GREVE, na íntegra

Compartilhe Este Post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Compartilhe Este Post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Últimos Posts

Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo, de Óleo, Lava Rápido e Loja de Conveniência de Niterói e Região

Sede Niterói

Endereço: Avenida Ernani do Amaral Peixoto , Nº 458, Sala 1002 – Centro – Niterói | RJ

Contatos: (21) 2719-9906 | (21) 96426-3572

Sub-Sede Petropólis

Endereço: Rua Teresa, Nº 608, Sala 161 – Alto da Serra – Petrópolis | RJ

Contatos: (24) 2231-4899 | (24) 99911-2307

Outros Links

Sede Niterói

Endereço: Avenida Ernani do Amaral Peixoto , Nº 458, Sala 1002 – Centro – Niterói | RJ

Contatos: (21) 2719-9906 | (21) 96426-3572

Sub-Sede Petropólis

Endereço: Rua Teresa, Nº 608, Sala 161 – Alto da Serra – Petrópolis | RJ

Contatos: (24) 2231-4899 | (24) 99911-2307